quinta-feira, 18 de março de 2010

Amar...

Um dia eu amei alguem. Amei com a minha alma, amei como se não houvesse traições, incertezas, inseguranças; Amei com a minha vida, como se não houvesse outros amigos, nem desconfianças, nem falsidade ou mentiras; Amei com o meu ser, como se não houvesse alguem mais importante neste, como se fossemos uma só alma, como se não houvesse individualismo, nem egoismo, nem orgulho; Amei com toda a verdade da alma, da vida e do ser que existe em mim, com toda a força do meu espirito, com toda a humildade da minha existencia, me doei por completo com toda fé e confiança. Tudo superei, tudo perdoei, todas as vezes recomecei. Porém nada disso foi o suficiente, ele se cansou. Fui grosseira, mal morada, depressiva, escandalosa, agressiva, ele se cansou; Fui impaciente, objetiva, carente,"bocuda", e ele se cansou. Hoje me sinto perdida em meio os meus sentimentos, a revolta, a magoa, a decepção, a impotencia, o amor. Sim hoje ainda amo alguem. Não entendo a capacidade do ser humano de amar, de perdoar, e não sei como ser feliz, mas é preciso. É preciso recomeçar, mas não quero amar "de novo" por que o meu amor não é transferivel, não quero um outro tocando meu corpo, me vendo na intimidade e me usando. Não quero dividir a cama com um estranho, não quero o calor de outro corpo, o beijo de outra boca. Este amor continua aqui, apertando meu peito, sufocando a minha tristeza, a minha saudade. Isso dói na alma, mas tenho fé e confio que esta dor vai diminuir, e vai cessar porque, recomeçar é preciso!